´
Blues Chips

Blue chips: o que é e para que serve?

Chips, no mundo dos jogos — como aqueles populares em cassinos —, são a moeda corrente. É por meio dela e seus respectivos valores que trocamos nosso dinheiro e, em seguida, trocamos as chips (ou fichas) pelo valor correspondente também em dinheiro.

Mas, acredite, o índice blue chips nada tem a ver com pôquer, roleta e nada parecido com cassinos. Mas, para os investidores, é o que mais se aproxima de uma aposta sem riscos e elevada chance de ganhos.

Se você quer saber um pouquinho mais sobre o assunto e descobrir como valorizar cada vez mais os investimentos feitos, aproveite para seguir com a leitura deste post e saber tudo a respeito do índice blue chips! 

O que é o índice blue chips?

Blue chips são as ações que, segundo o mercado financeiro, são mais seguras e contam com boa reputação e condição financeira no setor. Com isso, as pessoas direcionam os seus recursos com muito menos riscos associados a perdas e prejuízos.

É, portanto, uma questão não oficial. Não existe um índice blue chips oficial do mercado de ações, mas características que tendem a fazer um investidor ou corretor de valores a reconhecer, rapidamente, quais são as ações blue chips. Abaixo, você entenderá melhor algumas das características delas:

  • ações com maior liquidez, sendo alguns dos títulos mais negociados na bolsa de valores;
  • são ações oriundas de empresas de grande porte e tradicionais em seus respectivos setores de atuação;
  • elevado valor de mercado;
  • crescimento sólido e contínuo;
  • governança corporativa positiva;
  • relação também positiva com os acionistas;
  • normalmente, com um elevado volume de negociações.

Para tanto, o índice blue chips pode ser rapidamente formulado com base nas ações mais negociadas na bolsa — atente-se, apenas, em pesquisar em mais de um pregão essas informações para conseguir diagnosticar quais são as ações que perduram no topo por mais tempo. Essas são as blue chips.

Qual é a importância desse índice?

O índice pode ser usado, ainda que informalmente, como referência para o desempenho das ações no mercado financeiro de maneira geral. Acontece que, nos últimos anos, os blue chips se mostraram associados ao Índice Bovespa (ou IBOV) porque é onde concentram-se as ações mais negociadas na Bolsa de Valores.

Sendo o Ibovespa um dos termômetros mais usados pelo mercado financeiro no país, fica mais fácil diagnosticar e monitorar as blue chips nesse contexto. 

Quer saber mais a respeito da Ibovespa? Então, deixe salva para depois a leitura de nosso artigo que fala tudo o que você tem interesse em saber sobre o assunto!

Sobre o índice blue chips, especificamente, vale a pena ressaltar a sua relevância com base na origem delas em si. Como havíamos adiantado, elas tendem a ser as queridinhas dos investidores por pertencerem a organizações já consolidadas no mercado e com uma solidez maior em relação a outras ações.

Os riscos, portanto, são menores e o volume de negociações tende a ser maior. Essa valorização já confere um interesse maior dos investidores. O ponto de atenção, contudo, reside no fato da informalidade que as blue chips representam no mercado financeiro. Por não ser um índice oficial, é importante não levar as informações como regras, mas orientações de um momento do setor para que você tome a decisão mais assertiva de acordo com as suas informações, objetivos e necessidades.

Existem outras classificações de ações?

Comumente usadas no mercado financeiro, as classificações de determinadas ações permitem uma avaliação mais precisa sobre a assertividade nos seus investimentos. E são dois tipos além do índice blue chips que mencionamos até aqui:

  • mid-caps, cujo nome está associado ao termo de média capitalização. Aqui, as empresas de médio porte são classificadas e se traduzem, em média, por não serem as ações mais valorizadas, mas, tampouco, aquelas com um rendimento menor. Para muitos, inclusive, as mid-caps oferecem mais chances de crescimento do que as próprias blue chips, por exemplo;
  • small-caps, por sua vez, são as ações de menor capitalização. São acessíveis, financeiramente, e contam com uma liquidez menor em comparação com as mid-caps e as blue chips.

Como deve ter dado para perceber, tanto as mid-caps quanto as small-caps são ações que despertam interesse dos investidores. A primeira por permitir maior margem de crescimento e, a segunda, por ser acessível — ainda que os riscos sejam mais presentes por conta da volatilidade do setor e outros fatores.

Portanto, ainda que você fique de olho no índice blue chips, as outras ações não podem ser completamente negligenciadas de sua atenção e interesse em valorizar seu patrimônio e futuros investimentos.

Quais são as ações blue chips no país?

O Brasil tem algumas empresas que já se enquadram no contexto de um índice blue chips. São corporações grandes, sólidas e com elevados investimentos constantemente aquecendo o mercado financeiro.

A seguir, vamos ressaltar algumas delas com base nos últimos anos e monitoramento de especialistas do setor. Confira quais são:

  • Petrobras, cuja sigla de suas ações é classificada como PETR3 e PETR4;
  • Vale, a líder mundial na produção de minério de ferro e outros elementos, como níquel, e com amplo interesse do mercado chinês — sua sigla no mercado de ações é VALE3 e VALE5; 
  • Usiminas, que valorizou-se em 111% em 2017 e conta com uma constante atenção de investidores desde então com o aço representando a matéria-prima da empresa siderúrgica.

Existem, ainda, outras organizações que estão inseridas no mercado nacional, mas têm base em outros países, como os Estados Unidos. Algumas das empresas mais famosas são o Walmart, a Coca-Cola, a Procter & Gamble, a PepsiCo, a Unilever, e a Johnson & Johnson, entre outras.

Como escolher as melhores ações blue chips?

Por fim, vale a pena ficar por dentro de algumas orientações básicas para você que se interessou pelo índice blue chips e nas representantes em ações que ajudam a valorizar o mercado.

No geral, acreditamos que é importante:

  • o mercado nacional não tem muitas garantias de rentabilidade, bem como os riscos são mais elevados. Por isso, só invista no setor se você tiver o devido conhecimento e auxílio profissional para isso;
  • estudar o mercado financeiro antes de investir em ações. Comece por investimentos de baixo risco ou acessíveis para sentir como é a volatilidade do setor e também os riscos e perdas associados;
  • acompanhar as notícias do mercado e começar a identificar padrões, mudanças e oportunidades;
  • caso vá para o mercado de ações, não aposte nas blue chips, apenas. Diversifique a sua cartela de investimentos.

 

Para ficar por dentro das grandes mudanças do mercado e aprender cada vez mais sobre alternativas de investimentos, você pode ficar sempre de olho em nosso blog e redes sociais, mas é possível expandir as discussões sobre o assunto ao compartilhar este post nas suas próprias redes sociais! Assim, você pode trocar dúvidas e experiências com os seus contatos e aprender ainda mais sobre o índice blue chips!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.