benchmark financeiro

O que é benchmark financeiro? Entenda o conceito e aprenda a usá-lo!

Para saber se algo é bom ou ruim, precisamos sempre de um ponto de comparação. No futebol, por exemplo, os atuais parâmetros para excelentes jogadores são o Messi e o Cristiano Ronaldo. Já no mundo dos investimentos, a referência para saber se uma aplicação está indo bem ou não é o benchmark financeiro.

Você já ouviu falar nesse conceito? Neste post, você vai aprender tudo o que precisa saber sobre benchmark financeiro e como ele se relaciona com os seus investimentos de renda fixa e variável. Se interessou? Continue conosco!

O que é benchmark financeiro?

Benchmark financeiro é o índice de referência usado para avaliar a rentabilidade de um investimento. Cada tipo de aplicação deve ser comparada a um parâmetro diferente, de acordo com o risco que oferece. Sendo assim, conhecer essas taxas é essencial para investir com mais segurança e consciência.

Para entender melhor como funciona o benchmark financeiro, imagine que uma aplicação tenha tido retorno de 5% ao ano. Esse rendimento é bom, aceitável ou ruim? A resposta vai depender de muitos fatores: o tipo de investimento, o nível de risco e o desempenho de aplicações similares.

Considerando tudo isso, a chave para encontrar a resposta é o benchmark financeiro. Se o investimento for de renda fixa, por exemplo, não adianta compará-lo com benchmarks usados no mercado de renda variável, pois trata-se de níveis de risco diferentes. Usar o índice certo no lugar certo é imprescindível para uma avaliação criteriosa.

>> Quer saber mais sobre as melhores opções de investimentos para você? Confira este outro post do blog:
Tipos de investimentos: 7 opções mais lucrativas no Brasil <<

Quais são os principais benchmarks financeiros do mercado?

Como vimos acima, existem diversos benchmarks financeiros no mercado, cada um mais adequado para acompanhar um tipo de investimento. Conheça abaixo os principais índices dos mercados de renda fixa e variável.

Renda fixa

Em aplicações de renda fixa, os benchmarks financeiros são relacionados à inflação e à taxa de juros. As principais referências são: CDI, Selic, Ptax e indicadores de inflação. Saiba mais sobre elas a seguir.

CDI

O Certificado de Depósito Interbancário (CDI) é o principal benchmark financeiro para investimentos conservadores. Essa taxa é calculada a partir da média dos empréstimos que ocorrem entre os bancos, formada diariamente durante as negociações entre essas instituições.

É nela que os bancos se baseiam para calcular os juros dos investimentos de renda fixa que oferecem aos clientes. Isso inclui títulos privados como CDB, LC, LCI e LCA, que pagam sempre um percentual do CDI.

Esses papéis podem ser oferecidos ao investidor de três formas:

  • pagando exatamente a taxa CDI acumulada no período (100% do CDI);
  • pagando uma parte da taxa CDI acumulada no período (92% do CDI, por exemplo);
  • pagando um valor acima da taxa CDI acumulada no período (115% do CDI, por exemplo).

Selic

Definida pelo Banco Central, a Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Quando os bancos negociam títulos públicos, a taxa de juros praticada é a determinada pelo governo.

O papel da Selic como benchmark financeiro é muito parecido com o do CDI: ambos são importantíssimos para aplicações de renda fixa.

A diferença é que o CDI é o parâmetro usado para títulos privados, enquanto a Selic acompanha investimentos em títulos públicos, como os do Tesouro Direto.

Indicadores de inflação

A inflação é um dos fenômenos mais conhecidos dos brasileiros. É ela que faz os produtos ficarem mais caros e o dinheiro perder poder de compra ao longo do tempo.

Para monitorar esse efeito sobre os investimentos, é possível usar indicadores de inflação como benchmark financeiro. No Brasil, o principal deles é o Índice de Preços do Consumidor Amplo, ou IPCA.

Outra forma de usar a inflação na análise de uma aplicação é fazendo o cálculo do ganho real do investidor. Para isso, basta subtrair a inflação do desempenho do investimento, resultando no retorno obtido sem a perda de poder de compra ocorrida no período.

Esse é um dos motivos pelos quais a poupança é tão contraindicada pelos especialistas em investimentos. Ao contrário de outros produtos seguros de renda fixa, as cadernetas não protegem o investidor contra a inflação.

Ptax

A Ptax é um benchmark financeiro que consiste na variação do dólar frente ao real, usado como referência para investimentos baseados em moedas, como fundos cambiais.

Essa taxa é calculada pelo Banco Central com base na cotação do dólar ao longo do dia. São feitas quatro medições em diferentes horários, gerando a média das negociações praticadas pelo mercado cambial.

Renda variável

O mercado de renda variável é caracterizado pelo comportamento imprevisível, repleto de oscilações.O benchmark financeiro mais usado é o Ibovespa, junto com os índices setoriais da Bolsa de Valores, como veremos a seguir.

Ibovespa

O Índice Bovespa, ou Ibovespa, é o principal benchmark financeiro da renda variável. Esse parâmetro indica o desempenho de uma cesta de ações que representam as principais empresas presentes na Bolsa de Valores.

Quando você ouvir no noticiário sobre as altas e quedas da bolsa, agora já sabe: é do Ibovespa que eles estão falando.

Índices setoriais

Além do Ibovespa, o mercado de renda variável conta com outros benchmarks financeiros, que costumam agrupar títulos de empresas por segmento específico ou volume de negociações. Os principais são:

  • Índice Brasil 50 (IBrX50), com as  50 ações mais negociadas na bolsa;
  • Índice Brasil 100 (IBrX100), com as 100 ações mais negociadas da bolsa;
  • Índice Small Cap (SMLL), com títulos de empresas de menor capitalização;
  • Índice MidLarge Cap (MLCX), com ações de empresas de maior capitalização;
  • Índice do Setor Industrial (INDX), com as principais ações do segmento;
  • Índice Financeiro (IFNC), com as principais ações do segmento;
  • Imobiliário (IMOB), com as principais ações do segmento.

Agora que você já sabe o que é benchmark financeiro, é hora de colocar o que aprendeu em prática. Mas lembre-se: antes de olhar para os índices, é imprescindível escolher aplicações que estejam de acordo com os seu perfil de investidor. Portanto, procure também diversificar seus investimentos para não colocar todos os ovos na mesma cesta.

 

Gostou do artigo? Siga-nos nas redes sociais e receba em primeira mão os nossos melhores conteúdos sobre investimentos. Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn!

Comentários Facebook

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.