Participar ativamente em criar um bem-estar financeiro aos funcionários reduz o turnover, aumenta a produtividade e, principalmente, orienta os colaboradores sobre uma educação financeira de qualidade. São programas que visam, acima de tudo, a qualidade de vida.

 

Vivemos em uma época em que o RH deve assumir, de vez, o seu lado multifuncional e estratégico para a qualificação da força de trabalho de suas empresas.

Muitas vezes, assumindo as rédeas de condições externas ao ambiente de trabalho, mas que impactam na rotina profissional. É o caso do bem-estar financeiro aos funcionários.

Caso você ainda não tenha familiaridade com o termo, este post vai explicar tudo sobre esses programas que visam orientar, educar e informar as pessoas a respeito da saúde financeira.

Afinal de contas, não é segredo algum que uma crise econômica pode ecoar diretamente na nossa performance, motivação e grau de concentração nas atividades.

Continue com esta leitura, então, e confira conosco o que é e quais são os benefícios em implementar os programas de bem-financeiro aos funcionários!

 

No que implica a instauração do bem-estar financeiro aos funcionários?

O conceito de bem-estar financeiro aos funcionários pode ser traduzido facilmente em duas palavras: educação financeira.

Isso porque somos dependentes dessa relação intrínseca com as nossas economias. São elas que nos ajudam a planejar, em curto, médio e longo prazo, nossas ambições pessoais e profissionais, inclusive.

Por que, então, levar esse assunto tão particular para dentro das empresas?

Essa hipotética pergunta pode ser respondida com base nessa pesquisa aqui, que a aponta:

  • o estresse no trabalho chega a corresponder a um total de 60 US$ bilhões em prejuízos associados à baixa produtividade das equipes;
  • 1 milhão de estadunidenses faltam ao trabalho diariamente em decorrência do estresse.

Um dos principais problemas que, dificilmente, deixamos em casa ao sair, todas as manhãs. Mas, no nosso contexto nacional, outros dados ainda refletem a importância de programas assim.

Por exemplo: uma pesquisa do SEBRAE destaca que 77% dos profissionais autônomos (renda de até R$ 81 mil ao ano) não têm o menor treinamento em finanças.

Além disso, 39% disseram não registrar as suas receitas, algo que implica na total desorientação a respeito da saúde financeira dos seus negócios.

Daí a importância em ter, dentro da empresa, uma orientação qualificada que forneça bem-estar financeiro aos funcionários.

 

Quais são os seus benefícios?

Quando o setor de RH cuida do bem-estar geral dos seus colaboradores, os efeitos positivos são imediatos e prolongados.

Só que, ao aplicarmos a ideia de bem-estar financeiro aos funcionários, podemos observar outros efeitos de grande impacto na rotina da empresa, como:

 

Aumento de produtividade

Sem a carga negativa sobre os ombros de uma dívida financeira, os profissionais reagem bem aos novos desafios e à pressão cotidiana.

Pois, sem dúvidas, os débitos pendentes dominam o imaginário das pessoas. E, quando elas têm mais tempo para cuidar delas, sem esses problemas constantes no pensamento, elas são mais ativas e produtivas.

 

Redução do absenteísmo

Problemas financeiros se configuram em uma taxa elevada de absenteísmo nas empresas. Seja por consequências físicas ou psicológicas desse obstáculo.

Por isso, o bem-estar financeiro aos funcionários serve como um elemento que ajuda a dissolver a situação caótica, vivida em casa, e a orientar o colaborador a resolvê-la.

Com o tempo, isso se mostra de grande significância para acabar com as ausências injustificadas, o que também agrega um padrão de vida melhor para os colaboradores.

 

Minimiza o estresse e os conflitos internos

Se as suas ações de bem-estar financeiro gerarem resultados de impacto e positivos, os funcionários vão reduzir a carga de estresse.

Isso inclui a minimização dos conflitos internos e até mesmo impedir que eles procurem novas ofertas de emprego que paguem minimamente melhor — falaremos disso adiante.

 

Erradica o turnover por insatisfação salarial

Insatisfação salarial está entre os principais problemas que levam os talentos da empresa a buscarem novas oportunidades, aumentando o turnover.

Mas, uma vez que o RH já identificou um bom plano de carreira e média salarial competitivos no mercado, por que o turnover não reduziria com o tempo?

E aí temos a resposta: a inadequada educação financeira impede os colaboradores de usarem em seus próprios benefícios a renda mensal.

Ao instaurar um ou mais programas de bem-estar aos funcionários, você orienta as pessoas a analisarem estrategicamente o uso de suas respectivas rendas.

Lembrando que isso não tem nada a ver com “dizer o que fazer com o seu dinheiro”. Trata-se, apenas, de uma orientação, como veremos a seguir!

 

Como fazer parte dessa mudança de pensamento?

Como destacamos, acima, os programas de bem-estar financeiro aos funcionários não diz a eles o que fazer com os seus dinheiros: são ações de conscientização.

Do contrário, seria o mesmo que dizer que as campanhas que valorizam a saúde do colaborador exigem que ele faça exercícios regularmente, pare de fumar etc.

Isso tudo está atrelado na busca por um conhecimento que agregue, na vida das pessoas. E, a seguir, nós apontamos algumas medidas que podem ser eficazes nesse sentido. São elas:

  • workshops sobre educação financeira;
  • palestras com profissionais do setor sobre economia de recursos — se tiver um talento interno, e especialista nesses assuntos, ainda melhor;
  • orientação sobre a elaboração de objetivos financeiros em curto, médio e longo prazo;
  • diferenças entre os tipos de investimentos — e aplicações para cada objetivo;
  • gamificação, para exaltar a importância em cuidar de sua renda mensal.

Todas as medidas acima — entre outras que podem ser alinhadas de acordo com a cultura, objetivos e necessidades da empresa — agregam alto impacto nesse conceito.

Como havíamos destacado, trata-se de um planejamento que, indiretamente, gera mais bem-estar e qualidade de vida aos colaboradores. E que, como resultado direto disso, obtém-se uma equipe coesa, motivada, produtiva e com elevado interesse de crescer internamente.

E então, o que achou das nossas dicas e apontamentos sobre os benefícios do bem-estar financeiro aos funcionários?

 

Quer agregar qualidades ainda mais evidentes para a força de trabalho na sua empresa? Então, aproveite para curtir a nossa página no Facebook e seguir-nos no Instagram, Twitter e LinkedIn! Assim, você pode se antecipar e aplicar outras estratégias que vão agregar mais valor aos programas de bem-estar financeiro aos funcionários!