Inscreva-se

Entenda o que é e quais as vantagens da avaliação 180º!
Estratégia

Entenda o que é e quais as vantagens da avaliação 180º!

Avaliar o desempenho dos colaboradores é essencial para o sucesso de um negócio. Só assim os gestores conseguem dar feedbacks precisos aos seus funcionários a fim de torná-los mais capacitados para realizar suas funções. Uma das técnicas mais utilizadas para atingir esse objetivo é a avaliação 180 graus.

Nesse modelo, os funcionários são avaliados pelos gestores e vice-versa, com base nas metas alcançadas e qualidade do ambiente de trabalho. Há ainda a avaliação 360 graus, que vem ganhando muito espaço nas organizações. Para entender melhor os conceitos e saber as diferenças entre os dois, continue conosco!

 

O que são as avaliações 180 e 360 graus?

Para entender as distinções entre os dois tipos de avaliação, nada melhor que começar pelas definições. Vamos a elas.

 

Avaliação 180 graus

Aqui, o profissional recebe feedback apenas do seu gestor direto. Este, por sua vez, também é avaliado por seus subordinados. Por se tratar de uma orientação individual e direcionada, é uma das formas mais efetivas de desenvolver pessoas. Além disso, melhora o clima interno, já que o líder se propõe a escutar o que o time tem a dizer.

Entre os principais fatores analisados, podemos citar:

  • qualidade das entregas;
  • produtividade;
  • relacionamento pessoais;
  • trabalho em equipe;
  • flexibilidade.

Tudo isso é avaliado com base em metas preestabelecidas, o que facilita a mensuração dos resultados e o entendimento do colaborador sobre seus pontos fortes e fracos.

 

Avaliação 360 graus

Nesse modelo, o funcionário não é avaliado apenas pelo gestor, mas também por todas as pessoas que fazem parte da sua rotina, como pares, subordinados e clientes. Normalmente isso se dá por um questionário confidencial para garantir a sinceridade nas respostas.

Todos os aspectos analisados na avaliação 180 graus se repetem na 360, com a diferença da multiplicidade de pontos de vista.

Entenda mais sobre a avaliação 360 graus nesse post: Avaliação 360 graus: o que é e como aplicá-la na empresa?

Quer fazer um planejamento de RH eficiente? Baixe esse eBook gratuito:


Quais são as diferenças práticas entre as duas avaliações?

Como a avaliação 360 graus envolve mais pessoas, muita gente pensa que ela é sempre a melhor opção, mas não é tão simples assim. Ambos os modelos têm suas vantagens e devem ser aplicados de acordo com as necessidades do negócio. Veja abaixo algumas diferenças práticas entre os dois tipos.

 

Pontos fortes e fracos

A avaliação 360 graus fornece uma imagem mais completa dos atributos fortes e fracos do colaborador. Por exemplo: se o profissional tem uma ótima relação com o líder, mas problemas de relacionamento com seus pares, essa diferença virá à tona no resultado final.

Por outro lado, a avaliação 180 graus costuma ser muito mais precisa. Mesmo com confidencialidade, pares e subordinados podem ter dificuldades em apontar as falhas da pessoa avaliada, por questões como amizade ou medo de serem mal compreendidos.

Um feedback dado apenas pelo gestor tende a ser mais honesto, desde que seja feito com transparência, respeito e foco na melhoria dos resultados.

 

Identificação de talentos

O mesmo raciocínio se aplica à identificação de talentos. Quando a equipe toda analisa um profissional, podem vir à tona qualidades que passaram despercebidas pelo gestor.

Porém, quando a avaliação se restringe ao líder direto, a orientação sobre competências costuma ter mais credibilidade, já que vem de alguém que dedica parte de sua rotina a observar os talentos da equipe.

 

Autoavaliação

A autoavaliação é uma prática muito comum nesse processo, tanto no modelo 180 graus, quanto no 360. A diferença está nos efeitos dela.

Em geral, o colaborador estabelece uma visão sobre o próprio trabalho e espera que o gestor valide esse pensamento.

Na avaliação 180 graus, caso haja discordâncias, a conversa fica apenas entre o líder e o subordinado, o que facilita a compreensão das diferenças e uma mudança de comportamento.

Já na avaliação 360 graus, caso haja uma discrepância muito grande entre a autoavaliação e a análise geral, o profissional pode se sentir perseguido pelo time, o que gera uma situação difícil de ser contornada.

 

Como pudemos ver, a avaliação 180 graus é, junto à 360, um dos métodos mais efetivos para desenvolver pessoas. Agora que você já sabe tudo sobre o assunto, que tal colocar o que aprendeu em prática? Certamente os resultados serão excelentes!

 

Gostou do artigo? Não se esqueça de compartilhá-lo nas redes sociais. Assim você ajuda outros profissionais a melhorarem suas práticas de gestão de pessoas!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *