Aumentando score

Aumentando score: 6 dicas para conseguir rapidamente!

É de conhecimento público que o Brasil caminha com dificuldades, no aspecto econômico. Afinal de contas, mais de 60 milhões de pessoas estão inadimplentes — em atraso com as despesas — e isso leva à negativação do nome delas. O que, por consequência, dificulta o acesso a crédito, entre outros fatores.

Por sua vez, aumentando o score delas é possível mudar esse aspecto tão prejudicial. Só que isso envolve uma readaptação completa dos seus hábitos e comportamentos com os custos fixos e variáveis do dia a dia. 

A pergunta, então, é a seguinte: você acredita que este é o momento de mudar as atitudes e começar aumentando o score de crédito?

Neste post, vamos explicar tudo o que você precisa saber sobre o assunto e, em seguida, vamos destacar 6 dicas para você melhorar a sua reputação entre as operadoras de crédito, como:

  1. Pague as contas em dia;
  2. Tenha contas em seu nome;
  3. Mantenha os seus dados sempre atualizados;
  4. Atenção à frequência de solicitações de crédito;
  5. Negocie as suas dívidas atuais;
  6. Tenha paciência.

Boa leitura!

O que é o score de crédito?

Órgãos de proteção ao crédito, como o Serasa e o SPC, mantêm sob constante atualização um score de crédito, que é uma maneira de classificação dos consumidores a partir dos seus respectivos históricos de pagamento das contas.

Uma pontuação baixa nesse score, portanto, pode se traduzir em uma desconfiança maior do mercado financeiro em conceder empréstimos e outros tipos de créditos ao solicitante — seja ele pessoa física ou jurídica.

Por sua vez, aumentando o score é possível acabar de vez com essa desconfiança e facilitar esse tipo de solicitação às instituições financeiras, melhorando continuamente a relação com elas.

De que forma a análise de crédito tem participação nisso?

Complementarmente, toda pessoa está sujeita à análise de crédito ao requerer um empréstimo a uma instituição financeira, por exemplo. E é esse diagnóstico (com base no histórico de pagamentos do solicitante) que vai facilitar ou impedir que o pedido de crédito seja aprovado ou recusado.

Por exemplo: digamos que uma pessoa solicite um empréstimo ao banco, mas seja inadimplente em diversas contas nos últimos meses, e já tenha outras dívidas ativas com empréstimos concedidos por outras instituições.

O score de crédito desse indivíduo será, provavelmente, baixo, o que se traduz em uma dificuldade maior em obter novos empréstimos e até mesmo cartões de crédito de diferentes bandeiras e instituições.

Como funciona a análise de crédito?

Aprofundando-se um pouco no assunto podemos entender ainda melhor o quanto o score de crédito — e como — impacta a vida dos brasileiros.

Ao solicitar crédito às instituições, a análise é feita de maneira completa, em um sistema e técnicas adotados que se baseiam em dezenas de ferramentas para chegar a decisão definitiva. Entre os elementos pesquisados, nesse ínterim, podemos destacar alguns deles, como:

  • a documentação de quem solicitou o crédito;
  • o histórico com instituições financeiras — como pedidos anteriores de crédito e o processo em que a quitação ocorreu;
  • a análise nos órgãos de proteção ao crédito;
  • a adequação do perfil do solicitante com o produto desejado (o cartão de crédito ou empréstimo, por exemplo).

Com isso tudo, fica mais fácil entender o quanto é importante começar aumentando o score e, assim, evitar imprevistos com as suas solicitações, certo?

Como é gerado o score de crédito?

Antes de aprendermos como você pode aumentar o score de crédito, vamos explicar melhor o seu modelo de apresentação e o que os pontos significam para o consumidor. A começar pelo sistema de avaliação, que vai de 0 a 1000 pontos, correspondendo a reputação financeira do indivíduo. E isso significa:

  • 0 a 200 pontos oferece um risco muito alto de inadimplência;
  • 201 a 400 pontos oferece um risco alto inadimplência;
  • 401 a 700 oferece um risco médio de inadimplência;
  • de 701 a 900 oferece um risco baixo de inadimplência;
  • de 901 a 1000 oferece um risco muito baixo de inadimplência.

No histórico de cada CPF ou CNPJ consta, para os órgãos de proteção ao crédito, informações variadas, como as contas pagas e em atraso, o histórico de eventuais inadimplências, os pedidos de crédito, como a solicitação por novos cartões de crédito, empréstimos e financiamentos, entre outros e a relação geral com as instituições financeiras.

Com isso, os bancos e outras empresas que concedem crédito tomam as suas decisões, conforme já havíamos antecipado.

Quais são as 6 dicas para aumentar o score de crédito?

Sempre que atrasamos o pagamento de contas ou solicitamos muitos empréstimos e cartões de crédito em um curto intervalo de tempo, corremos riscos de ter a nota do score de crédito reduzida.

Aumentando o score, por sua vez, as chances são maiores. E você pode fazer isso de algumas formas. A seguir, vamos falar das principais delas!

1. Pague as contas em dia

A principal dica pode parecer óbvia, mas é a que melhor influencia o seu score de crédito. Ao pagar as contas em dia, o seu histórico permanece imaculado e não oferece dúvidas quanto à sua habilidade de honrar compromissos financeiros.

2. Tenha contas em seu nome

Outro ponto relevante para isso é relacionado à quantidade de contas que você tem em seu nome. Sinal evidente, em primeiro lugar, de que outras empresas se relacionam com você com base nesse registro.

Ao solicitar crédito, a análise feita pelos órgãos responsáveis pode encontrar as contas que estão registradas no seu CPF e, com isso, ter mais dados para uma tomada de decisão que favoreça os seus objetivos.

3. Mantenha os seus dados sempre atualizados

Aumentando o score, como já antecipamos, oferece facilidades para a obtenção de crédito com as instituições financeiras. E uma maneira que contribui com uma boa nota é o seu cadastro atualizado.

Isso significa que você pode registrar sempre as mudanças de endereços, nos sites onde você é cadastrado, para que os órgãos encontrem as suas informações e realizem uma análise de crédito mais rápida e fácil.

4. Atenção à frequência de solicitações de crédito

Expor-se assim, financeiramente, desperta dúvidas nos analistas de crédito. Afinal de contas, por que você necessitaria de tantas solicitações em um curto intervalo de tempo?

Consequentemente, muitos podem deduzir que você não tem conseguido equilibrar as despesas e a sua renda mensal, o que aumenta o risco de gerar inadimplência para liquidar as suas contas e eventuais solicitações de crédito. E isso se converte, para o mercado, em um mau pagador.

Portanto, tente controlar os impulsos de solicitar créditos por qualquer motivo. Em vez disso, experimente trabalhar de maneira consistente a sua disciplina financeira, reduzindo gastos e readequando o seu orçamento a uma realidade menos envolta em despesas.

Inclusive, temos um bom artigo que explora melhor essa questão. Caso queira saber mais sobre o assunto, descubra como lidar quanto você estiver endividado!

5. Negocie as suas dívidas atuais

Sair das dívidas é uma tarefa complicada, normalmente, e que exige controle, disciplina e planejamento para cumprir as contas mensais e, ainda, liquidar as pendências financeiras.

Acredite: para você que vinha penando em descobrir como começar aumentando o score, é importante trabalhar diretamente com a causa (ou as causas) do problema, que são as contas em aberto.

Dessa maneira, experimente falar com o gerente ou as instituições onde você é inadimplente. Muitas vezes, essas companhias já contam com alternativas para que você flexibilize o pagamento de acordo com a sua realidade financeira. É do interesse de todos, afinal de contas, que você liquide o débito.

E isso vale para tudo: desde o cheque especial ao carnê de parcelas de um bem que você tenha adquirido nos últimos meses.

6. Tenha paciência

Por fim, lembre-se: aumentando o score, você muda a sua vida para melhor. Só que isso não acontece da noite para o dia em grande parte dos casos.

Ou seja: tenha paciência. Discipline-se — e também oriente os seus familiares — para que todos possam estar na mesma página e trabalhar harmoniosamente para o fim das dívidas.

Com isso, as inadimplências são constantemente reduzidas, o que permite uma sobra financeira gradualmente maior ao longo dos meses. Imagine traduzir os custos com juros e multas em reserva financeira para que vocês possam almejar objetivos cada vez maiores?

Esse é um mundo que gera ainda mais interesse em liquidar rapidamente os débitos, não é mesmo? Comece, então, aumentando o score de crédito e obtenha a tão desejada liberdade financeira a partir dos seus esforços de agora!

 

E, para ir um pouco além das dicas que foram apresentadas ao longo deste artigo, aproveite para curtir a nossa página no Facebook e seguir-nos no Instagram e LinkedIn! Por lá, nós sempre estamos compartilhando novidades para que você dê novos rumos à sua realidade financeira — sem falar na possibilidade de interagir com a nossa base de seguidores e compartilhar as suas experiências!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.