Ansiedade e dinheiro: como controlar a ansiedade financeira?

ansiedade-e-dinheiro

2020 foi um ano marcado por muitas incertezas e preocupações. Várias pessoas precisaram lidar com o luto da perda de entes queridos e ao mesmo tempo com dúvidas, instabilidades no trabalho, ansiedade e dinheiro

Toda a crise gerada pelo coronavírus impactou drasticamente todos os âmbitos da vida das pessoas, aumentando os problemas financeiras e a saúde emocional.

Devido a isso, temas como ansiedade financeira se destacaram, pois em grande parte dos casos, o dinheiro é ao mesmo tempo a solução e o causador da ansiedade.

Pensando nesse assunto, preparamos este artigo para falar sobre ansiedade e dinheiro e como controlar a ansiedade financeira para lidar com a questão. Você irá  conferir:

  • A “quarta onda” da pandemia da Covid-19;
  • Qual a relação entre ansiedade e dinheiro?;
  • Como controlar a ansiedade financeira?.

A “quarta onda” da pandemia da Covid-19

A pandemia do coronavírus trouxe não apenas o vírus para a sociedade, mas também os problemas de desemprego e uma grave crise financeira. Todas essas incertezas se tornaram “gatilhos” para o sofrimento emocional.

Chamada como a “quarta onda” da pandemia, o momento atual é marcado pelo aumento das doenças mentais. O isolamento social, que é fundamental para conter a disseminação da doença, tem sido um dos grandes agravantes do problema. 

Segundo um estudo da Universidade de São Paulo (USP), o Brasil é o país que mais tem casos de ansiedade (63%) e depressão (59%). Em segundo lugar está a Irlanda, com 61% das pessoas com ansiedade e 57% com depressão, e os Estados Unidos, com 60% e 55%, respectivamente.

A perda de perspectiva em relação ao futuro costuma ser a principal causa desses problemas, no entanto, ansiedade e dinheiro também estão no topo da lista.

Não é à toa que no Brasil, de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, em abril de 2020, 66% dos brasileiros possuíam dívidas e 77% delas eram de cartão de crédito.

>>Se você faz parte desta estatística, sugerimos a leitura do artigo ‘10 dicas para usar o cartão de crédito de forma consciente’ com dicas para utilizá-lo de forma inteligente.<<<

Essa situação tem tirado o sono dos brasileiros. Dois terços dos funcionários relataram que problemas de saúde mental prejudicaram seu desempenho no trabalho durante a pandemia Covid-19.

40% dos funcionários estão lutando contra o esgotamento, de acordo com uma pesquisa realizada pelo provedor de benefícios de saúde mental Lyra Health e pela National Alliance of Healthcare Purchaser Coalitions.

Qual a relação entre ansiedade e dinheiro?

Incertezas, preocupações, perda de perspectiva, medo. Você tem sentido algum desses sintomas ultimamente? Esses sentimentos são comuns em momentos como o que estamos vivendo. 

A atmosfera pesada causada pela pandemia está produzindo repercussões na saúde mental das pessoas.

De acordo com uma entrevista dada pela psicóloga e diretora da Clínica Plenamente, Maria Alice Fontes, a crise financeira está associada com o medo de não ser capaz de sustentar as necessidades financeiras básicas, a impossibilidade de ter o mesmo padrão de vida e a baixa autoestima devido ao distanciamento social.

“Emprego estável e um rendimento seguro predizem uma boa saúde mental”, afirma.

Devido a isso, a cobrança tende a se tornar cada vez mais intensa e, como consequência, as pessoas podem acabar tendo sintomas que variam entre depressão, aumento da ansiedade, estresse, uso de drogas e suicídio. 

Nesse cenário, ansiedade e dinheiro andam juntos. De acordo com pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), 69% dos inadimplentes sofrem de ansiedade e outros distúrbios, por não conseguirem resolver suas dívidas. 

Os distúrbios mentais como a ansiedade ainda agravam a crise financeira, pois podem levar a pessoa a realizar compras excessivas. Desse modo, esses gastos desenfreados acabam piorando a situação, tornando-se uma bola de neve de problemas. 

Então, como lidar com essa situação? O primeiro passo para controlar os problemas de ansiedade e dinheiro é, com certeza, procurar ajuda de um profissional da saúde.

Mas, você também pode tomar algumas atitudes no seu dia a dia para aprender a lidar melhor com a ansiedade e dinheiro. Veja a seguir como a seguir.

Como controlar a ansiedade financeira?

ansiedade-financeira

Você sabia que mesmo com a crise é possível ter um bem-estar psicológico e encarar a situação com mais esperança? Para isso, é preciso tempo e esforço para lidar com as situações relacionadas a dinheiro. 

Preparamos algumas estratégias para que você saiba como diminuir a ansiedade com dinheiro para gerenciar os problemas com ansiedade e dinheiro. Vamos lá?

1. O planejamento é fundamental

Algumas pessoas, principalmente quando já estão com problemas de ansiedade e dinheiro, tendem a gastar de forma desordenada, o que acaba agravando a situação. Portanto, o primeiro passo é realizar um planejamento para amenizar o problema.

Você precisa analisar o que está agravando a ansiedade. Se é a falta de entradas, o grande número de dívidas, a incerteza do futuro, etc. É preciso identificar quais são os gatilhos e montar um plano de ação para lidar com essas questões.

O que você pode fazer? É possível economizar em algum aspecto? Conseguir uma renda alternativa para o momento de crise? Renegociação de dívidas à vista? Avalie o que está dentro de sua realidade atual.

2. Busque informações

Muitas vezes, temos problemas de ansiedade financeira, pois não sabemos como ter uma relação saudável com o dinheiro. Isso acontece porque as pessoas não têm grande conhecimento sobre o assunto.

Portanto, é importante buscar informações de especialistas para aprender a lidar com ansiedade e dinheiro. Ler alguns artigos financeiros ou aprender os principais termos sobre o assunto, pode lhe ajudar a esclarecer suas preocupações.

Leia também >>> Métodos de controle financeiro: o que são e por que são tão importantes?

3. Ter esperança e pensar positivo

Pode parecer bobagem, mas para superar algo é importante acreditar que você é capaz de fazer isso. Ainda segundo a psicóloga Maria Alice Fontes:

“Pessoas com crenças pessoais negativas tendem a ter a recidiva de depressão e de sintomas de ansiedade frente a instabilidades do ambiente.”

Logo, sentimentos negativos acabam alimentando a ansiedade financeira e prejudicando a recuperação.

4. Prestar mais atenção ao dinheiro

Como temos muitas contas fixas, acabamos criando o costume de pagar nossas dívidas de forma automática. Assim, muitas vezes não prestamos atenção no que realmente estamos gastando.

Para ter uma boa saúde financeira é necessário analisar mensalmente o fluxo de dinheiro que entra e sai de sua conta bancária e antecipar o que está por vir.

Assim, você poderá realizar os ajustes necessários no orçamento para evitar ficar no vermelho nos meses seguintes.

5. Reconhecer os próprios méritos

Outro passo importante para saber como diminuir a ansiedade com dinheiro, é aprendendo a reconhecer os próprios progressos. Ainda que você esteja longe de seu objetivo final, toda mudança de comportamento é valiosa.

Por isso, reconheça seus méritos e perceba que você é capaz. Isso será fundamental para controlar a ansiedade financeira.

Como você pôde perceber, ansiedade e dinheiro estão interligados e sabemos que nem sempre é possível evitar dívidas. Portanto, saber lidar com a ansiedade financeira é fundamental para não adoecer.

Para isso, busque sempre se planejar e determinar objetivos possíveis para que consiga seguir em frente em suas conquistas.

Aumente a produtividade da sua equipe diminuindo o estresse financeiro

Se você passa por problemas de ansiedade e dinheiro e lida com estresse financeiro, saiba que as empresas, incluindo a que você trabalha, pode ajudar a melhorar a saúde financeira.

Conheça a ferramenta Xerpay e saiba como funciona o sistema que implementa o pagamento sob demanda, ou seja, os colaboradores de uma empresa podem antecipar parte de seus salários quando precisarem.

 Essa ferramenta está mudando a forma como os funcionários lidam com o seu salário e gerando mais satisfação e motivação no trabalho.

O Xerpay pode ser um dos benefícios mais valorizados por quem trabalha em sua empresa. Fale com um especialista e conheça mais!

Quer conferir outras dicas sobre saúde financeira? Siga a Xerpa nas redes sociais – Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

Confira outros artigos que você pode se interessar