A análise de perfil comportamental ajuda no processo de recrutamento, pois garante um alinhamento dos pilares institucionais da empresa com o próprio perfil e características do colaborador. Algo que agrega, e muito, à rotina da empresa. Para aplicá-lo:

  • entenda o perfil da empresa;
  • identifique os perfis dominantes para o sucesso de cada departamento;
  • avalie os profissionais e identifique carências;encontre o melhor método dentre as opções mais usadas no mercado;
  • aplique a análise de perfil comportamental ao processo seletivo.

 

Cada vez mais, as empresas estão se dando conta de que os valores de seus colaboradores devem estar em profundo alinhamento com a sua cultura organizacional.

Como resultado, cria-se uma aliança forte, resistente e com mais facilidade para a composição de um time de alta performance, harmônico e que gere valor agregado à sua marca.

E é assim que podemos identificar, para o setor de RH, a importância de uma boa análise de perfil comportamental. Por meio dela, a organização se beneficia amplamente.

Não apenas isso: esse alinhamento de identidades faz com que os colaboradores produzam mais, melhor e cientes de que estão em uma relação de mútuo reconhecimento.

Que tal entendermos, então, o valor de uma análise de perfil comportamental, para o seu local de trabalho, e como aplicá-la efetivamente? Boa leitura!

 

Por que a análise de perfil comportamental é importante?

Muitas demissões — estimuladas pela empresa ou pelo colaborador — são decorrentes do comportamento. A ausência de identificação com valores, os processos etc.

Por sua vez, se a organização entende qual é o seu DNA e o que busca, no perfil dos seus profissionais e candidatos, a história muda e é mais fácil alcançar a satisfação coletiva.

Isso porque o setor de recrutamento e seleção já está ciente do que faz um profissional completo para a realidade da empresa.

Consequentemente, os candidatos ou mesmo o quadro de funcionários já deve conter as características, habilidades e comportamentos mais próximos dos seus valores institucionais.

Para fazer isso, é importante considerar, primeiramente:

  • o perfil da empresa;
  • os perfis dominantes para o sucesso de cada departamento;
  • os profissionais e identifique carências;
  • o melhor método dentre as opções mais usadas no mercado;
  • a análise de perfil comportamental aplicada ao seu processo seletivo.

E então, deu para entender o valor da análise de perfil comportamental e como dar o primeiro passo nessa direção?

 

É a mesma coisa de um teste de personalidade?

Que a análise de perfil comportamental não seja confundida com um teste de personalidade.

A primeira tem mais a ver com as características inerentes ao ambiente de trabalho que esse profissional vai agregar ao local.

No geral, todo indivíduo carrega um perfil dominante e que a análise de perfil comportamental ajuda a revelar, como:

  • comunicador;
  • executor;
  • planejador;
  • analista.

Perfis que contribuem para a identificação de líderes, de pessoas agregadoras, de quem deseja aprender continuamente, quem lida melhor com o fluxo de trabalho ou pode ser determinante para uma rotina estabelecida e imune a falhas e imprevistos, entre outros fatores.

Já o teste de personalidade é algo mais genérico — quando pensado para o ambiente de trabalho — e pouco foca no comportamento do indivíduo em situações profissionais.

 

Como realizar uma análise de perfil comportamental?

Existem ferramentas específicas que podem ser aplicadas para o melhor aproveitamento da sua análise de perfil comportamental.

É importante observar que não existe um modelo mais eficaz e, sim, aquele mais adaptável às suas necessidades e objetivos, visando resultados específicos.

Para isso, abaixo vamos destacar algumas das ferramentas mais populares para a realização da análise de perfil comportamental. São elas:

 

Teoria DISC

Sua inspiração vem do livro As Emoções das Pessoas Normais, de William Moulton Marston, e o conceito está pautado nas suas iniciais, que significam:

  • D, de dominância;
  • I, de influência;
  • S, de estabilidade;
  • C, de conformidade.

Com base nos resultados é possível avaliar se os candidatos a um cargo na empresa — e o quadro de colaboradores — conta com indivíduos mais pacientes, analíticos, pacientes ou reativos.

Assim, compõem-se um grupo mais coeso e uniforme.

 

Quantum

O método permite que os profissionais de RH identifiquem os perfis citados anteriormente, bem como as tendências comportamentais de cada um.

Ou seja: há como prever o tipo de reação que um profissional pode apresentar, dominantemente, diante de uma situação de pressão, risco, planejamento etc.

Assim, o RH sofre menos riscos para compor os times da empresa, já investindo previamente em todo o potencial que o candidato tem a apresentar e desenvolver.

Além, é claro, de servir como um importante instrumento de lapidação dos talentos internos.

Por meio de avaliações de desempenho o RH consegue apontar, com eficácia, o que se espera de cada profissional para que ele cresça pessoal e internamente na empresa.

 

Hogan

Tipo de análise de perfil comportamental em que se aprofunda nas reações de um profissional — similar ao que explicamos no tópico anterior.

A diferença, aqui, está no aprofundamento proposto na metodologia Hogan de avaliação. São inventários e relatórios diversos, obtidos após o processo de análise do indivíduo.

Isso possibilita um mapeamento mais preciso a respeito de cada um, o que se configura em mais vantagens para o RH tomar uma decisão assertiva e alinhada aos valores da empresa.

 

L.A.B.E.L

Por fim, um modelo muito usado de análise de perfil comportamental: L.A.B.E.L, cuja nomenclatura é uma abreviação para Lista de Adjetivos Bipolares e em Escala de Likert.

Trata-se de um instrumento de avaliação psicológica que também mede os traços dominantes de personalidade nos indivíduos.

Como destacamos, previamente, não há um modelo definitivo e diferenciado: apenas aquele que melhor se adapta às suas necessidades.

O que, consequentemente, amplia a necessidade de entender o funcionamento de cada um desses tipos de análise de perfil comportamental.

 

Quais são os benefícios de aplicar a análise de perfil comportamental?

Agora que já passamos por boa parte do conceito de análise de perfil comportamental, convém avalia o quanto isso impacta na rotina da empresa.

Confira, então, alguns dos principais benefícios em ter essas metodologias inseridas no seu processo seletivo e também no quadro de funcionários da empresa:

 

Melhorias no processo de gestão de pessoas

A gestão de pessoas é parte inerente do setor de Recursos Humanos. No entanto, é importante observar a relevância da análise de perfil comportamental.

Afinal, os resultados permitem que os profissionais do seu RH estratégico conheçam melhor cada colaborador. E, especialmente, os candidatos a uma vaga na empresa.

Com isso, líderes e o próprio RH evitam atritos com os colaboradores, tomam decisões mais assertivas e entendem previamente como motivar e engajar cada profissional da equipe.

 

Redução do índice de rotatividade

Como destacamos anteriormente, muitas demissões são motivadas por algo comportamental. Assim, a análise de perfil comportamental serve como um importante instrumento.

Pois o RH já sabe o que busca em um profissional. E essa ferramenta permite que os novos colaboradores estejam muito de acordo com o que prega a organização.

Resultado disso: engajamento, motivação, identificação com os pilares institucionais da empresa e a redução do índice de turnover.

 

Menos custos com a contratação e demissão de funcionários

Logicamente, admissões e demissões custam muito para uma empresa. E esse é o reflexo imediato dos dois tópicos anteriormente citados.

Com a análise de perfil comportamental, os talentos são retidos, novos talentos são contratados e todos eles estarão de acordo com o perfil da empresa. E os custos relacionados às demissões e contratações são minimizados.

 

Menos tempo e investimento em integração e treinamento

Como o comportamento influencia diretamente no dia a dia da empresa, a análise de perfil é um diferencial e tanto para facilitar a integração e o treinamento de profissionais.

Como consequência, gasta-se menos tempo e dinheiro nesse processo, agregando mais valor às equipes em curto prazo.

Sem falar, é claro, que esse processo promove menos conflitos na empresa. Todos entendem o seu papel, sabem de suas responsabilidades e compreendem até onde podem chegar internamente.

Assim, cria-se um ambiente mais produtivo, harmonioso e livre de conflitos motivados por um comportamento inaceitável no ambiente profissional.

 

E, para entender um pouquinho mais a respeito da análise de perfil comportamental e o seu impacto na organização, convidamos você, agora, a ler nosso artigo que explica detalhadamente sobre o perfil comportamental: o que é e como aplicá-lo?