Para impedir procedimentos indevidos dentro do âmbito empresarial, os recursos de advertência verbal e escrita precisam ser aplicados, evitando qualquer irregularidade ou falta de compromisso por parte dos funcionários.

Essas advertências são partes do processo que analisa imprudências ou falta de profissionalismo dentro das organizações, de acordo com o artigo 482 do CLT (Consolidação das Leis de Trabalho).

Por meio desse sistema, que é constituído por várias regras e normas, as empresas prestam um serviço mais organizado e evitam qualquer prejuízo que interfira na rotina produtiva ou no bem-estar empresarial.

Quer saber mais sobre advertência verbal e escrita? Acompanhe a leitura e veja os pontos mais importantes sobre o assunto. Confira!

 

Conceitos e diferenças de advertência verbal e escrita

Como os próprios nomes sugerem, os conceitos de advertência verbal e escrita se diferenciam por meio da prática com que cada uma é aplicada.

 

Advertência verbal

É a apresentada por meio de uma conversa individual com o trabalhador. Nesse encontro, deve ser explicado categoricamente o erro do profissional, mostrando-lhe a forma correta de agir, além do oferecimento de auxílio para que a falha não seja repetida.

Porém, embora a observação seja aplicada por meio de um diálogo, tudo precisa ser registrado e assinado pelo funcionário.

 

Advertência escrita

É a ação que se segue caso a advertência verbal não tenha tido resultado. Aqui, as provas precisam ser concretas e claras. Além de toda informação pertinente sobre a falha do funcionário, também é importante anexar documentos relacionados, como folha de ponto ou relatos de testemunhas.

A advertência escrita deve ser registrada em duas vias: uma fica com o funcionário advertido e a outra com a empresa.

 

Diferenças

Como dito, a diferença entre os dois casos, basicamente, está na forma de aplicação de cada uma. Sendo a verbal uma advertência falada e a escrita uma ação mais burocrática e se utilizando de provas cabais.

Além disso, na maior parte, a advertência escrita só é colocada quando a chamada verbal não surtiu efeito. Porém, essa sequência não é uma regra, sendo possível que um profissional seja repreendido de forma escrita diretamente.

 

Aplicação das advertências

As advertências verbais e escritas devem ser elaboradas com muita atenção e eficiência para não causar nenhum dano moral ou ético por parte da gerência da empresa.

Ao receber o comunicado, o funcionário precisa estar ciente das faltas cometidas, evitando repetir o mesmo erro. Caso o empregado recuse essas advertências, isso pode ser entendido como falta de compromisso com a empresa, além de poder causar demissões pela falta de ética no trabalho.

Para redigir esses comunicados, existem alguns pontos que são imprescindíveis. Confira a seguir.

 

Evitar agressividades

Se a conduta do funcionário não estiver de acordo com as normas e exigências da empresa, é necessário aplicar uma advertência para que esse prejuízo seja averiguado.

Entretanto, por respeito ao ambiente e aos funcionários, o empregador deve sempre avaliar a melhor maneira de se comunicar com seus trabalhadores, sem que ocorra alguma situação constrangedora por conta de um exagero.

Sendo assim, as chamadas aplicadas terão um impacto mais positivo e harmônico dentro do âmbito corporativo. O papel fundamental das advertências é fazer com que o funcionário obtenha uma autoavaliação de seu rendimento e comportamento.

 

Aplicar a advertência na hora certa

É necessário aplicar a advertência no momento em que o funcionário estiver cometendo alguma irregularidade. Vale lembrar que essas chamadas não devem ser aferidas muito tempo após o erro.

No momento em que o profissional causar algum prejuízo, elabore uma advertência que esclareça pontualmente todos os erros e danos que esse trabalhador cometeu no ambiente de produção.

Se deixar esse procedimento para depois, o funcionário pode reproduzir o mesmo deslize, podendo criar um problema maior na empresa.

 

Aplicar apenas uma falta

Como foi dito anteriormente, fique atento aos exageros. Para cada erro, aplique apenas uma falta. Evite trazer argumentos e discussões que possam ser desnecessárias para uma determinada situação.

Além disso, se o funcionário reverter o erro e conseguir realizar seu trabalho sem prejudicar o ambiente de produção, incentive-o e esclareça maneiras de melhorar o seu rendimento.

 

O papel do trabalhador perante as advertências

O papel do trabalhador perante as advertências é imprescindível. Um dos pontos mais importantes é a aceitação desses comunicados, levando em conta a busca por um melhor desempenho no ambiente de produção.

Perante a lei, o colaborador não é obrigado a assinar advertência de nenhum cunho, porém, o empregador pode solicitar que duas testemunhas assinem confirmando que o trabalhador cometeu e está ciente da falha discorrida no documento.

Para evitar o recebimento de qualquer tipo de repreensão, é preciso conhecer quais situações são passíveis de punição. Acompanhe, abaixo, algumas delas.

 

Violação de segredo da empresa

Um desvio ético que precisa de atenção é a violação ou vazamento de dados e informações confidenciais da empresa por parte do funcionário.

Com a massificação da Internet e das redes sociais, há o risco de alguma informação que não deve ser revelada acabar sendo exposta por algum trabalhador.

Vale lembrar que essa regra não está apenas atribuída à Internet: ela vale em qualquer situação na qual dados e documentos sigilosos são violados e propagados.

 

Abandono de emprego

A falta de comprometimento com a empresa, por conta da ausência de algum serviço, pode prejudicar o rendimento do trabalho, além de trazer prejuízos financeiros.

Para esses casos, é cabível a aplicação de advertência que seja coerente e apresente quais os prejuízos que aquela atitude tomada pelo funcionário pode trazer à sua equipe e à organização como um todo.

 

Ofensas

É necessário que todo funcionário obtenha um bom comportamento e saiba se comunicar de forma profissional com seus colegas de trabalho. A falta de respeito e empatia pelo próximo deve ser combatida com advertências.

 

Condenação Criminal

Em casos de roubo ou ato criminal, além de identificar quem foi o autor da ação, também é necessário elaborar uma advertência que esclareça as atitudes tomadas pelo funcionário que cometeu o ato.

Além disso, as advertências direcionadas para esses casos são válidas para as leis governamentais que regem as diretrizes das leis trabalhistas.

 

Alcoolismo

Funcionários que têm o hábito de consumir álcool e drogas no escritório devem ser advertidos. Nesses casos, por conta da embriaguez, esses colaboradores estão cometendo erros que podem interferir em um ambiente harmonioso, além de trazer situações constrangedoras capazes de prejudicar o serviço de outros trabalhadores.

Para evitar qualquer situação desse tipo, a empresa pode aplicar uma advertência e mostrar as consequências daquela atitude ao funcionário.

 

Em suma, advertência verbal e escrita exercem um papel fundamental na organização do ambiente de trabalho, além de manter uma regulação judicial mais eficiente perante as leis trabalhistas. Fique sempre atento à maneira de redigir esses comunicados. Afinal, qualquer falta de compromisso e cuidado com seus funcionários pode acarretar em prejuízos no dia a dia da empresa.

Achou esse artigo interessante? Que tal conferir o nosso texto sobre os riscos do absentismo e como diminuir os seus impactos?