Absenteísmo nas empresas: quais são os riscos e como diminuir esse impacto?

A ausência no trabalho e a alta rotatividade são situações que impactam em diversas áreas do negócio, principalmente no setor financeiro. Essa prática, conhecida como absenteísmo nas empresas, pode estar vinculada a inúmeras causas. Neste artigo, você vai entender um pouco a respeito dos motivos que causam esse problema. Além disso, aprenderá quais estratégias podem ser abordadas com o objetivo de reduzi-lo.

Continue a leitura e confira!

O que é absenteísmo?

De forma bem objetiva, o absenteísmo caracteriza-se como o volume excessivo de faltas ou atrasos no trabalho.

A palavra, de origem latina, significa “estar atrasado, fora ou ausente”. Na prática, refere-se especificamente ao número de horas de trabalho perdidas, seja por faltas, atrasos ou saídas antecipadas. O absenteísmo inclui tanto as faltas e atrasos justificados, como os não justificados.

Você deve estar se perguntando, afinal, é possível identificar com clareza quais são as causas desta situação? Confira a seguir.

Quais são as causas do absenteísmo nas empresas?

É possível identificar quais são as causas do absenteísmo. O que permite a adoção de estratégias que visem a redução do seu impacto na organização.

Diversas causas podem estar relacionadas ao fenômeno do absenteísmo, entre elas, destacamos:

Ausência de feedback

Muito embora esta não possa ser considerada uma causa direta do absenteísmo, muitas situações envolvendo a desmotivação dos colaboradores estão relacionadas à ausência de feedback dos superiores. Isto gera incerteza quanto ao aproveitamento pessoal dentro da organização. Um profissional frustrado com a falta de retorno sobre o seu rendimento pode sentir a necessidade de se afastar da empresa: faltas, atestado e pedidos frequentes de home office são comuns nesses casos.

Clima organizacional

Quando o clima da organização é coercivo, o comportamento dos colaboradores reflete esta situação e a tendência é que muitas pessoas se sintam desmotivadas. Essa sensação de indolência causa o aumento na incidência de atrasos, faltas e saídas antecipadas.

Comunicação deficiente

Empresas que não investem em uma comunicação aberta com os seus colaboradores têm mais chances de se deparar com problemas relacionados ao absenteísmo. O diálogo com os colaboradores é imprescindível para a produtividade e a satisfação das equipes.

Cultura organizacional

Outra situação que gera o absenteísmo é a incompatibilidade entre os valores e objetivos do colaborador com a cultura da organização. Um profissional que não se sente confortável e não se identifica com os objetivos da empresa, acaba se distanciando.

Dificuldade de cumprir metas

Estabelecer metas é importante. Auxilia a empresa a ter um planejamento claro e que o colaborador saiba até onde ele pode chegar. Entretanto, em muitos casos as metas estabelecidas geram o efeito contrário. Ao invés de motivar, elas desmotivam e oprimem os colaboradores, que sentem vontade de fugir do ambiente de trabalho.

Doenças

Os principais motivos de ausência do trabalho estão relacionados à saúde dos colaboradores. No entanto, em muitos casos essa justificativa é usada como uma alegação para mascarar outro problema. O funcionário que utiliza esta justificativa com o objetivo de encobrir outra situação, normalmente o faz por medo de sofrer represálias. Ou até mesmo por medo de ser demitido.

Imaturidade profissional

A imaturidade profissional é outro fenômeno que cada dia é mais comum. Principalmente em face da mudança de comportamento do mercado e da nova geração de profissionais que estão entrando no mercado de trabalho.

A falta de comprometimento com os horários e alguns pensamentos “fora da caixa” acabam aumentando a incidência do absenteísmo nas organizações. Para mudar esta situação vale a pena investir em diálogo e treinamento, a fim de que os colaboradores entendam a importância que eles ocupam para o pleno funcionamento da organização.

Novas oportunidades

Outra razão diretamente relacionada à ausência dos colaboradores é a ocorrência de entrevistas de emprego para outras ocupações. Como essas entrevistas costumam ser realizadas no horário do expediente, é normal que o funcionário alegue doença com o objetivo de faltar ao trabalho no dia da entrevista.

Qualidade de vida

A qualidade de vida é outro fator relacionado ao absenteísmo. Quando o ambiente de trabalho prejudica a saúde do profissional, causando doenças psicológicas ou físicas, é normal que ele se afaste do ambiente profissional, impactando diretamente nos resultados da empresa.

Volume de trabalho

O volume excessivo de trabalho pode afetar a produtividade, aproveitamento e satisfação pessoal do colabores. O estresse é um motivo para o não comparecimento ao trabalho com a frequência adequada.

Existem outras causas relacionadas ao absenteísmo nas empresas, entretanto estas são as mais comuns. Para conhecer melhor o seu negócio, vale a pena criar um lista de verificação, mapeando a realidade do seu negócio e relacionando a ocorrência das faltas ou atrasos com as situações mencionadas acima.

Qual é o impacto do absenteísmo nas finanças da empresa?

A rotatividade e a baixa produtividade dos colaboradores gera impactos significativos para a empresa. A prática do absenteísmo está vinculada a diversos gastos para o empresário. Além dos custos relacionados diretamente à rescisão do contrato, a empresa também tem custos com a substituição do colaborador e a nova contratação.

Desta forma, um panorama financeiro geral de despesas relacionadas ao absenteísmo, inclui os seguintes gastos/despesas:

  • despesas com rescisão do contrato, pagamento de férias, 13º salário proporcional, impostos e demais custos relacionados ao desligamento do colaborador;
  • custo/hora do gestor no processo de desligamento do funcionário;
  • custo/hora nos procedimentos do RH para desligamento do colaborador;
  • custo atrelado à queda de produtividade do setor onde o profissional estava locado em função da sua ausência no ambiente de trabalho;
  • redução da produtividade da equipe em razão do impacto psicológico relacionado ao desligamento do colega;
  • perda dos valores investidos com treinamento e desenvolvimento do profissional desligado;
  • custos com recrutamento e seleção do novo colaborador;
  • despesas com o processo admissional do novo colaborador;
  • investimento com a capacitação e treinamento do novo profissional que vai ocupar o cargo.

Naturalmente, o valor final relativo a estas despesas vai depender do tamanho da empresa e dos custos com o colaborador que está sendo desligado.

Contudo, um estudo realizado pela Watson Wyatt Worldwide em 2005, estimou que nos EUA, estes custos podem chegar a 50% do salário do colaborador. Vale destacar, por exemplo, que quanto maior a remuneração do colaborador e o nível de responsabilidade, maior será o custo para a empresa.

Outro fator que deve ser considerado pelo setor financeiro, é que de forma geral, este custo costuma ser irrecuperável. Sendo que a única forma de recuperá-lo seria se o novo colaborador apresentasse um desempenho superior em pouco tempo de empresa, o que não costuma acontecer.

Ainda, de acordo com a legislação brasileira, os impactos da demissão realizada pelo empregador são sempre maiores do que quando solicitado pelo empregado. Por isso, até mesmo esta questão deve ser avaliada na tentativa de diminuir o impacto para o negócio.

Para a manutenção das atividades de uma organização, é imprescindível que o gestor utilize os seus recursos com equilíbrio e responsabilidade. Especialmente em momentos de recesso da economia.

Desta forma, a melhor maneira de diminuir os impactos financeiros para o negócio é evitando a rotatividade dos funcionários, investindo na satisfação das equipes e diminuindo os casos de absenteísmo.

Mas afinal, existem estratégias que possam ser utilizadas para reduzir esse tipo de situação?

Como diminuir o absenteísmo e melhorar os resultados econômicos?

É possível adotar algumas soluções para reduzir o absenteísmo nas empresas. Confira algumas dicas práticas que podem impactar positivamente nas finanças da sua empresa:

  • invista nos processos de recrutamento e seleção. Contrate profissionais que estejam alinhados com a cultura e os objetivos da sua empresa. Isso reduzirá os casos de insatisfação e a incidência do absenteísmo;
  • realize pesquisa de avaliação do clima organizacional, avaliando a satisfação dos funcionários. Assim é possível buscar estratégias para melhorar os resultados no ambiente de trabalho por meio de sugestões dos próprios colaboradores;
  • alinhe os objetivos de todos os setores do negócio, inclusive o setor de recursos humanos e o setor financeiro. Quando as equipes trabalham com um objetivo comum é mais fácil alcançá-lo.

Como visto, o absenteísmo é um problema comum, mas pode ser evitado por meio da adoção de estratégias de gestão.

 

(Visited 1 times, 1 visits today)

1 thought on “Absenteísmo nas empresas: quais são os riscos e como diminuir esse impacto?

  1. Priscila da Silva Responder

    Gostei muito do artigo, parabéns!
    Sou profissional atuante da área de RH – foco em Gestão de Pessoas e percebo que as causas ou explicações referentes ao absenteísmo, estão bastante alinhadas com o artigo. Destaco a questão de R&S no quesito: como diminuir o absenteísmo. Este fator, ao meu ver, é o essencial!
    Em meu blog também comento bastante assuntos sobre Gestão de Pessoas.
    Convido à todos para seguir-me:

    http://www.colaborarh.com
    http://www.facebook.com/colaborarh

    Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *